Paginas

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Mania De Superioridade

Existem pessoas que, por terem maior bagagem de conhecimento que outras, se julgam superiores, achando-se com o direito de menosprezar aquelas que, menos favorecidas, não dispõe do mesmo cabedal de conhecimentos, mas que nem por isso podem ser consideradas inferiores.
" A luz não vem ao mundo para zombar das trevas; mas iluminá-las."
Sem dúvida alguma... Essa é a atitude correta. Todo aquele que tiver mais "luz", deve procurar iluminar aqueles que não a tem, ao invés de menosprezá-los.
Nunca podemos nos esquecer ainda, de que não somos detentores do conhecimento absoluto. Sempre existe algo que não conhecemos.
Exemplificando: um grande cientista, possivelmente não saberá consertar uma torneira.
Então, apesar de todo seu cabedal de conhecimentos, ele vai precisar dos conhecimentos específicos de um humilde encanador.
Tudo na vida é uma troca de conhecimentos. Assim sendo, antes de zombar de alguma pessoa que seja ignorante naquilo em que você é sábio, procure saber se seus conhecimentos são tão profundos, que dominam também a especialidade desse alguém.
Como é praticamente impossível ao cérebro humano absorver o conhecimento total, sempre devemos manter nossa humildade e, da mesma maneira que procuramos saber mais, também devemos dividir com os outros aquilo que sabemos, ao invés de nos vangloriarmos de nossos conhecimentos profundos sobre determinado assunto, tachando de ignorantes aqueles que não tem o mesmo grau de conhecimento.
Será que não existe alguma coisa que um humilde faxineiro nos possa ensinar? Não tenha dúvidas de que existe. Nem que seja uma lição de humildade. E essa, amigos, já é uma grande lição de vida que, se bem aproveitada, pode nos ensinar a viver melhor...
Essa lição, inclusive, pode mostrar que o orgulho desmedido que muitas pessoas sentem por suas origens, por sua situação financeira, ou por seus conhecimentos, muitas vezes pode se virar contra elas mesmas, pois sua atitude acaba afastando muitos amigos, que acabam se cansando de certas atitudes prepotentes e as deixam sós. E de que vale o orgulho nessa altura dos acontecimentos?
Então Amigos (as)... o negócio mesmo é procurar dividir nossa "luz" com quem não a tem, ao mesmo tempo em que podemos nos iluminar um pouco com a "luz" que outras pessoas tem, e da qual somos carentes. Assim, ao mesmo tempo em que aumentamos nossa "área iluminada", "iluminamos" áreas alheias. Não lhes parece uma troca justa?
Aliás, a melhor maneira de evitar o apagão, é com idéias luminosas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Amei as mensagens. Parabéns!