Paginas

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Esvaziando Os Armários De Nossa Vida

Todos os anos, há um momento em que olhamos nossos armários com um olhar crítico.
Olhamos aquelas roupas que não usamos há tanto tempo.
Aquelas que tiramos do cabide de vez em quando, vestimos, olhamos no espelho, confirmamos mais uma vez que não gostamos e guardamos de volta no armário.
Aquele sapato que machuca os pés, mas insistimos em mantê-lo guardado.
Há ainda aquele terno caro, mas que o paletó não cai bem, ou o vestido “espetacular” ganho de presente de alguém que amamos, mas que não combina conosco e nunca usamos.
Às vezes tiramos alguma coisa e damos para alguém, mas a maior parte fica lá, guardada sabe-se lá porquê.
Um dia alguém me disse: tudo o que não lhe serve mais e você mantém guardado, só lhe traz energias negativas. Livre-se de tudo o que não usa e verá como lhe fará bem.
Acontece que nosso guarda-roupa não é o único lugar da vida onde guardamos coisas que não nos servem mais.
Você tem um guarda-roupa desses no interior da mente
De uma olhada séria no que anda guardando lá. Experimente esvaziar e fazer uma limpeza naquilo que não lhe serve mais. Jogue fora idéias, crenças, maneiras de viver ou experiências que não lhe acrescentam nada e lhe roubam energia.
Faça uma limpeza nas amizades, aqueles amigos cujos interesses não têm mais nada a ver com os seus.
Aproveite e tire de seu “armário” aquelas pessoas negativas, tóxicas, sem entusiasmo, que tentam lhe arrastar para o fundo dos seus próprios poços de tristezas, ressentimentos, mágoas e sofrimento.
A insegurança dessas pessoas faz com que busquem outras para lhes fazer companhia, e lá vai você junto com elas. 
Junte-se a pessoas entusiasmadas que o apóiem em seus sonhos e projetos pessoais e profissionais.
Não espere um momento certo, ou mesmo o final do ano, para fazer essa “faxina interior”.
Comece agora e experimente aquele sentimento gostoso de liberdade. 
Liberdade de não ter de guardar o que não lhe serve. 
Liberdade de experimentar o desapego.
Liberdade de saber que mudou, mudou para melhor,
E que só usa as coisas que verdadeiramente lhe servem e fazem bem.

Autor Desconheço
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A Fábula Do Beija-flor

Certo dia a mata estava pegando fogo, e um beija-flor começou a pegar água numa folha e jogar no fogo. 
Os outros animais disseram pra ele que ele estava ficando louco, pois sozinho não iria conseguir apagar todo aquele fogo. 
Ele respondeu que não conseguiria apagar o fogo sozinho, mas que estava fazendo sua parte.
Fazer nossa parte as vezes só não basta, precisamos convencer as pessoas que aquilo que estamos fazendo é certo. 
Que assim como um elo apenas não pode formar uma corrente, a união de um grupo em torno do mesmo objetivo é necessária para que esse algo possa ser feito.
Tomar como exemplo o João de Barro, assim como outras aves que mesmo sem ter mãos para carregar o necessário para a confecção de suas casas, vão em frente e fazem um lindo trabalho… É acreditar ser possível aquilo que parece impossível, é acreditar ter condições de ser feito, quando na maioria das vezes, parece não haver condições.
É fornecer a Deus ferramentas para que Ele possa nos ajudar, onde nossa força não nos permite. 
Dar-nos coragem onde fraquejamos. Conduzir-nos até nosso destino final.

Autor desconheço
Colaborador: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Nunca julgue

Um médico entrou no hospital com pressa depois de ser chamado… é uma cirurgia de urgência. Ele respondeu à chamada o mais rápido possível, trocou de roupa e foi direto para centro cirúrgico.
Ele encontrou o pai do menino indo e vindo na sala de espera do médico. Depois de vê-lo, o pai gritou:
“Por que você levou todo esse tempo para vir? Você não sabe que a vida do meu filho está em perigo? Você não tem senso de responsabilidade?”.
O médico sorriu e disse:
“Lamento, eu não estava no hospital e eu vim o mais rápido que pude depois de receber a ligação… E agora, eu gostaria que você se acalmasse para que eu possa fazer meu trabalho”.
“Acalmasse? Se fosse seu filho que estivesse nesta sala agora, iria se acalmar? Se o seu próprio filho morresse agora o que você iria fazer?”, Disse o pai com raiva.
O médico sorriu novamente e respondeu: Do pó viemos e ao pó voltaremos. Bendito. Os médicos não podem prolongar a vida. Vá e interceda por seu filho, vamos fazer o nosso melhor pedindo a Deus a proteção.
“Dar conselhos é fácil”, murmurou o pai.
A cirurgia levou algumas horas e depois que o médico saiu feliz, “Graças a Deus! Seu filho está salvo!”
E sem esperar a resposta do pai o medico saiu correndo. “Se você tem alguma dúvida, pergunte a enfermeira! Disse o medico.”
“Por que ele é tão arrogante? Ele não podia esperar alguns minutos para que eu pudesse perguntar sobre o estado do meu filho”, comentou o pai ao ver os enfermeiros minutos depois que o médico saiu.
A enfermeira respondeu, com lágrimas descendo em seu rosto: “Seu filho morreu ontem num acidente de viação, ele estava no enterro, quando o hospital o chamou para a cirurgia de seu filho. E agora que ele salvou a vida de seu filho, ele saiu correndo para terminar o enterro de seu filho.”.
Nunca julgue ninguém, porque você nunca sabe como sua vida é e ao que está acontecendo ou o que eles estão passando.

Autor desconheço
Colaboração: Carlos E. Della Justina